Conheça a História da Igreja

Ouça nossa Rádio

Bíblia online

biografias

dicas de leitura
Selecionamos alguns livros para aumentar seu conhecimento.

  • Banner
  • Banner

enquete
Você já leu a Bíblia inteira quantas vezes?
Escolha uma opção abaixo
Resultados Outras enquetes




Publicações Imprimir conteúdoIndicar página para alguém

Gálatas: a fidelidade

PREGAÇÃO NO CULTO DE EXPOSIÇÃO BÍBLICA REALIZADOS ÀS QUARTAS-FEIRAS*

 

O FRUTO DO ESPIRITO V: A Fidelidade.

 

Referência: Gálatas 5:22

 

INTRODUÇÃO: A lealdade é uma das mais importantes bênçãos da vida. A amiga leal ama em todo o tempo. É mais achegado que um irmão. Não poderíamos viver bem sem amigos achegados, companheiros leais de jornada, conselheiros íntegros e sábios, são um refrigério de Deus para o nosso coração.

 

É claro que não estou falando de amigos de taberna, companheiros de copo, que rasgam a cara em ruidosas gargalhadas nos banquetes da iniquidade.

 

Não estou falando dos amigos utilitaristas que se aproximam apenas para auferirem alguma vantagem imediata.

 

Falo de lealdade sincera, pessoas que estão ao nosso lado para celebrar nossas vitórias e chorar com nossas lutas e fracassos.

 

Falo daqueles amigos que confrontam você em secreto e enaltecem você em público.

 

Falo daquela amizade que é edificada sobre o sólido fundamento do amor, e que, por isso, não se abala quando as vicissitudes nos açoitam com rigor desmesurado.

 

Amigos bajuladores são um simulacro da verdadeira lealdade. Agradam você com elogios hipócritas em sua presença e solapam sua honra quando você vira as costas. O verdadeiro amigo leal, porém, ama em todo o tempo.

 

Está presente com você não porque busca alguma vantagem, mas porque tem pressa em servi-lo.

 

A lealdade verdadeira é aquela que chega quando todos já se foram. É a fidelidade aquele que lhe estende a mão com presteza, quando os outros recuam com celeridade.

 

A verdadeira lealdade vai com você até a morte, ela não se abala com as desavenças, ela se firma no perdão e na reconciliação.

 

Vamos aprender o que Paulo que dizer com fidelidade.

 

I- PISTIS - A Virtude da fidelidade.

 

O sétimo elemento no fruto do Espírito é pistis, que a ARC traduz por fé. Pistis é uma das palavras mais comuns no NT, porque a fé é a base de toda a religião cristã. Mas nesta lista do fruto do Espírito Santo, fé é um termo que provoca equívocos.

 

Na grande maioria dos casos em que pistis ocorre no NT significa a fé que é confiança, entrega e obediência totais no que diz respeito a Jesus Cristo.

 

É o que se pode chamar de uma VIRTUDE TEOLÓGICA; é a base da crença e da totalidade do nosso relacionamento com Deus mediante Jesus Cristo.

 

Mas as virtudes alistadas no fruto do Espírito não são todas; virtudes teológicas; são na sua maioria VIRTUDES ÉTICAS: têm mais a ver com nosso relacionamento com nosso PRÓXIMO do que com Deus.

 

Pistis aqui significa fidelidade; é a confiabilidade e fidedignidade que torna uma pessoa totalmente confiável e cuja palavra podemos aceitar completamente.É um pessoa completamente HONESTA em todo o seu viver.

 

É justamente o termo FIDELIDADE que a maioria das versões e português usam, exceto a ARC e ACF, que traduz com fé.

 

Quando examinarmos as ocorrências de pistis com este significado no NT, frequentemente parecerá que a melhor tradução é simplesmente LEALDADE.

 

Em Mt 23.23 Jesus acusa os escribas e fariseus de serem meticulosos em darem o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, negligenciando as questões mais importantes da lei, a justiça, a misericórdia e a fé.

 

O significado é que muito cuidadosamente eles levam a efeito as exigências rituais e cerimoniais da lei, mas negligenciam as qualidades humanas básicas da justiça, benignidade e lealdade ou fidelidade.

 

Em Tt 2.10 é estipulado que os empregados nunca devem furtar seus patrões, mas demonstrar boa fidelidade. O servo cristão deve ser HONESTO e FIDEDIGNO.

 

Em Rm 3.3 Paulo compara a inconstância dos homens com a fidelidade de Deus. As promessas de Deus permanecem fiéis a despeito de toda a infidelidade dos homens. A infidelidade do homem nunca poderá anular a fidelidade de Deus.

 

Neste mesmo sentido a palavra pistis é usada no Apocalipse. O Apocalipse foi escrito num pano de fundo de perseguição, numa situação em que as virtudes do mártir são as virtudes supremas do cristão, uma situação em que a maior virtude é a lealdade inflexível a Jesus Cristo.

 

O Cristo Ressurreto sabe que os cristãos da igreja de Pérgamo habitam onde está o trono de Satanás, e Ele os parabeniza porque, mesmo nos dias em que a perseguição ardia, não negaram a fé nEle e a lealdade deles resistiu à prova (Ap 2.13).

 

Um tempo de matança e perseguição é uma chamada à perseverança e à fé, ou seja: à lealdade dos santos (Ap 13.10; 14.12). O fruto do Espirito é uma obra da graça divina que nos capacita a sofrer por amor ao evangelho e permanecer FIRME NA FÉ.

 

Estes são os principais usos da palavra pistis no sentido de fidelidade ou lealdade; mas precisamos ampliar o seu significado.

 

Vamos analisar o adjetivo correspondente, pistos (fiel) é muito mais usado na Escritura do que o substantivo pistis (fé).

 

O adjetivo Pistós (fiel) tem dois significados que correspondem aos dois sentidos de pistis; significa CRENTE, e significa CONFIÁVEL, FIDEDIGNO, FIEL.

 

Examinemos, pois, o caso do segundo significado, e veremos o que constitui esta lealdade neo-testamentária.

 

1. Pistós é caracteristicamente o adjetivo mediante o qual o servo bom e leal é descrito. Paulo diz que que os despenseiros “oikonomos” (Administradores, presidentes) que sejam encontrados fiéis (1 Co 4.2).

 

O mordomo é quem administra todos os bens de seu senhor, é o chefe da casa de seu Senhor, é quem tem a chave da dispensa, e a sua principal qualidade moral exigida é sua fidelidade absoluta.

 

Esta é a palavra que Jesus usa a respeito do servo fiel (fidedigno) que é nomeado mordomo da casa inteira (Mt 24.45; Le 12.42).

 

É a palavra da recomendação e louvor dos servos BONS e FIÉIS nas parábolas afins acerca dos dez talentos e das dez minas (Mt 25.21, 23; Lc 19.17).

O servo fiel trabalha para aumentar a riqueza de seu Senhor, usando os talentos que recebeu. O Servo INFIEL, não usa seu talento, antes o enterra.

Ocorre nas três lições associadas à parábola do mordomo injusto (Lc 16.10-12)..

(a) Quem é fiel no pouco, também é fiel no muito.

(b) Se o homem não for fiel nas riquezas temporais, quem lhe dará as riquezas da eternidade? Se não tenho condições de ser fiel com os bens materiais que Deus me deu, como posso esperar que ele me dê as riquezas dos séculos vindouros.

(c) O homem fidedigno é fiel com os bens alheios. Se eu não sou fiel com as minhas demandas, jamais serei fiel com as dos outros. Seu não sou fiel nos meus negócios, eu jamais serei com os dos outros.

Logo a fidedignidade é a qualidade que os homens procuram em seu próximo, e é exatamente aquilo que Jesus Cristo procura em Seus seguidores também.

2.Esta palavra descreva o servo bom do evangelho, da Igreja e de Jesus Cristo.

Paulo a emprega a respeito de si mesmo dizendo que ele dá graças a Jesus Cristo por CONSIDERÁ-LO FIEL e por colocá-lo no ministério (1 Tm 1.12). Esta deveria ser a premissa básica, para alguém estar no ministério.

Os ensinos da Igreja devem ser confiados a homens fiéis que ensinarão a outros (2 Tm 2.2). Aqui a palavra tem duplo sentido, podendo significar homens que são crentes e fidedignos. Não deveríamos DESPERDIÇAR O ENSINO com que não é fiel.

Repetidas vezes, Paulo caracteriza seus poucos ajudantes como fiéis no Senhor. Timóteo, Tíquico, Epafras e Onésimo são descritos assim (1 Co 4.17; Ef 6.21; Cl 1.7; 4.9).

 

O apostolo Pedro usa a mesma palavra a respeito de Silvano (1 Pe 5.12), e João a usa a respeito de Gaio (3 Jo 5), e o oposto foi Demétrio, seu opositor.

 

O patrimônio mais valioso que qualquer PASTOR pode possuir consiste nos homens que são FIÉIS e LEAIS, homens dos quais pode depender totalmente quanto à lealdade e ao trabalho fiel.

 

Pistos não somente é a palavra da Igreja e das suas virtudes, mas também é a palavra da virtude doméstica, porque as esposas devem ser sóbrias e fiéis em todas as coisas (1 Tm 3.11).

 

 Nenhuma igreja, ministério pastoral ou casamento pode ficar em pé a não ser que estejam baseados na lealdade.

 

3. Pistos descreve algo de absoluta confiança. Nas Epístolas Pastorais há uma ocorrência característica de pistos, e acha-se em conexão com logos, que é uma palavra ou declaração.

 

(a) Uma declaração fiel. Um “pistos logos”; literalmente (declaração fiel) é uma declaração sobre cuja verdade o ouvinte pode ter absoluta confiança, e da qual pode ter total certeza.

 

Em (1 Tm 1:15) Paulo diz: “Esta é uma PALAVRA FIEL, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal.

 

Em (1 Tm 4:9) “Esta PALAVRA É FIEL e digna de toda a aceitação”.

 

(b) Um ministério fiel. Em (1 Tm 3:1) “Esta é uma PALAVRA FIEL: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja”.  

 

Em (Tito 3:8) “Fiel é esta PALAVRA, e quero que você afirme categoricamente essas coisas, para que os que crêem em Deus se empenhem na prática de boas obras. Tais coisas são excelentes e úteis aos homens”. Ou seja, aqueles que declaram crer em Deus devem produzir boas obras.

 

Paulo falando da condição para alguém ser um Pastor escreve: (Tito 1:9) “Retendo firme a FIEL PALAVRA”, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes.

 

Cada uma destas declarações é descrita como “pistos logos”, uma declaração acerca da qual não pode haver dúvidas.

 

É alguém cujo caráter jamais poderá ser alterado ou manchado. Alguém cuja palavra não muda. (exemplo da fidelidade do Pr Jefferson).

 

Pistos logos” é uma palavra de cuja veracidade é impossível duvidar-se.  O caráter fiel é a melhor garantia que uma pessoa possa dar.

 

Esta é a marca de imutável de uma pessoa fiel, principalmente dos que servem no ministério.

 

A fidelidade é a principal marca do CARÁTER de um obreiro. O caráter fiel de um homem no ministério é a base sobre qual tudo o mais se firma ou despenca.  O grande propósito da vida é a moldagem de um caráter fiel.

 

Se tivermos, talentos, treinamento, experiência, reputação, dons espirituais e poderes milagrosos, mas se não tivermos um caráter fiel, não teremos nada, a base do ministério é o caráter.

 

Philips Brooks em uma palestra na Universidade de Yale (USA) disse: A preparação para o ministério não é mero treinamento, não é fornecimento de conhecimento abundante. Deve ser nada menos do que o amassar e temperar a natureza de um homem até torna-la de tal consistência e qualidade que seja passível de ser transmitida

 

Robert Murray MChene, escreveu para o seu amigo Daniel Edwards em 1840:

“lembre-se de que você é a espada de Deus; instrumento dele... E o sucesso dependerá em grande parte, da pureza e perfeição do instrumento”.

 

“Não são os grandes talentos que Deus abençoa, mas uma grande semelhança com Jesus. Um ministro santo é uma terrível arma na mãos de  Deus. Mas um ministro que não é fiel, é uma grande arma nas mãos de satanás”.

 

4. Pistos descreve o homem cuja lealdade o capacitará a morrer por Jesus Cristo.Antipas é o mártir fiel de Cristo; e o cristão é conclamado a ser fiel até à morte (Ap 2.10; 3.14).

 

O homem pistos (fidedigno) prefere perder a vida e não perder a honra. Quem não está disposto a morrer pelo evangelho, não terá poder para vive-lo.

 

A fidelidade é pura integridade é inteireza interior, não é HIPOCRISIA e nem DUPLICIDADE de caráter.  A fidelidade é assumir compromisso com o Senhor Jesus.

 

A lealdade e a integridade é José dizer, não a mulher de Portifar, e ir para a prisão por ser fiel, honesto e casto.

 

Fidelidade é Moisés desistiu dos privilégios de um príncipe egípcio, e preferir sofrer sacrificialmente servindo por quarenta anos um povo que não merecia sua liderança.

 

É Paulo dizendo: Meus irmãos, tenho cumprido meu dever para com Deus e com toda a boa consciência, até o dia de hoje (At 23.1), e bateram na sua boca por ter dito isso.

 

É Martinho Lutero na Dieta de Worms, quando exigiram que ele se retratasse de tudo o que havia escrito sobre a justificação pela fé: ele respondeu dizendo:

 

“Não posso fazer outra coisa, não posso ir contra minha consciência, o que escrevi, escrevi, amenos que alguém me prove pela Escritura que estou errado! esta é a minha posição. Que Deus me ajude. Amém”.

 

5. O completo significado da palavra pistos está no Senhor Jesus. Pistos é usado mais de uma vez para descrever o próprio Jesus Cristo. No livro do Apocalipse o Senhor Jesus Cristo é a testemunha fiel, o fiel e o verdadeiro (Ap 1.5; 19.11).

 

Uma pessoa pode apostar sua vida na veracidade daquilo que Jesus disse. Jesus é o Sumo Sacerdote misericordioso e fiel (Hb 2.17). O homem pode depender totalmente dEle para abrir o caminho até Deus.

 

Jesus é fiel a Deus que O nomeou para a Sua tarefa (Hb 3.2, 5). Se pudermos nos expressar assim não somente o homem, mas também Deus, pode depender de Jesus.

 

6. Podemos dar o último passo além do qual nenhuma palavra pode ir em circunstância alguma. Repetidas vezes pistos é uma descrição de Deus. Este é o caso especialmente nas cartas de Paulo. O Deus que nos chamou à comunhão de Seu Filho é fiel (1 Co 1.9).

 

Deus é fiel, e não permitirá que sejamos tentados além das nossas forças (1 Co 10.13). Paulo assevera enfaticamente que Deus é verdadeiro (2 Co 1.19). O Deus que nos chamou é fiel e cumprirá a Sua promessa e obra (1 Ts 5.24).

 

O Deus que nos confirmará e que nos guardará do maligno é fiel (2 Ts 3.3). Ainda que os homens descreiam, Deus permanece fiel (2 Ts 2.13). A ideia aparece várias vezes como um refrão nas cartas de Paulo: "Vocês podem depender de Deus."

 

O escritor aos Hebreus insiste em que podemos depender do Deus que deu Sua promessa (Hb 10.23). Sara teve um filho na sua velhice porque acreditava poder depender totalmente da promessa de Deus (Hb 11.11).

 

Pedro conclama os seus leitores, mesmo no meio de seus sofrimentos, a encomendarem as suas almas ao Criador, de quem podem depender (1 Pe 4.19).

 

Se confessarmos os nossos pecados, diz João, ele é fiel e justo, então podemos depender de Deus no sentido de recebermos perdão (1 João 1.9).

 

Em uníssono, os escritores do NT dão testemunho daquilo que eles mesmos experimentaram repetidas vezes — a grande verdade de que podemos depender da fidelidade de Deus.

 

Pistos realmente é uma palavra importante. Descreve o homem em cujo serviço fiel, cujo caráter é fiel e podemos confiar, e cuja palavra é fiel e podemos aceitar sem reservas.

 

Descreve o homem com a fidelidade inflexível de Jesus Cristo e a total fidedignidade de Deus. Descreve aqueles que são o verdadeiros filhos de Deus.

 

CONCLUSÃO: É mais fácil construir um caráter fiel e zelar por ele do que reconstruí-lo depois de tê-lo perdido. O que destrói uma caráter é a negligencia.

 

Deixamos de ler a Palavra, de estar assiduamente nos cultos, de dedicar tempo a oração e assim vamos deixando de ser servos fiéis.

 

O caráter fiel morre, a devoção morre, o lar feliz morre, a reputação morre, o ministério morre, e talvez a igreja local também morre.

 

Paramos de ter fome de santidade e de exercitar a disciplina e o discernimento espiritual. Paramos de fazer aqueles sacrifícios que mostram o nosso amor especial por Cristo e seu povo.

 

Precisamos de restauração, precisamos ser fiel no serviço do mestre.

 

Um dos gigantes de Deus foi John Wesley, Durante uma única semana, em Julho de 1757, Wesley pregou dez vezes em oito cidade diferentes, viajando a cavalo, pois ele era fiel e amava o Senhor Jesus.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Essa pregação faz parte da série de sermões expositivos que acontecem no Culto de Expositiva Bíblica às quartas-feiras aqui na Assembleia de Deus Marcas do Evangelho, às 19h30. Ficamos na Rua Álvaro Pedro Miranda, 08, Campo Grande, Cariacica/ES. Perto da Faculdade Pio XII.

De: 30/08/2017
Por: Jairo Carvalho



Deixe seu comentário abaixo
0 comentário

 

Quanto é :

2011 - 2018 Pregação Expositiva
Desenvolvimento: Agência Kairós
Usuários online 1 online Visitantes 198949 Visitas