Conheça a História da Igreja

Ouça nossa Rádio

Bíblia online

biografias

dicas de leitura
Selecionamos alguns livros para aumentar seu conhecimento.

  • Banner
  • Banner

enquete
Você já leu a Bíblia inteira quantas vezes?
Escolha uma opção abaixo
Resultados Outras enquetes




Publicações Imprimir conteúdoIndicar página para alguém

1 Reis - Viva o Rei!

PREGAÇÃO NO CULTO DE EXPOSIÇÃO BÍBLICA REALIZADOS ÀS QUARTAS-FEIRAS*

 

Referência: 1 Reis 1.32-53

 

INTRODUÇÃO

 

Segundo um antigo costume, a morte de um governante é saudada com as seguintes palavras: "O rei está morto, viva o rei!". Isso pode parecer uma contradição. Se o rei está morto, que sentido faz desejar-lhe uma vida longa?

 

Mas a questão é que o reino perdurará. Mesmo que um rei esteja morto, outro rei viverá para tomar seu lugar. A realeza sobreviverá, e é por isso que as pessoas que desejam a continuidade da monarquia dizem: "O REI ESTÁ MORTO, VIVA O REI!".

 

Esse costume ajuda explicar o que a rainha Bate-Seba disse ao rei Davi quando ela procurou garantir o trono para o legítimo rei de Israel.

 

O velho rei estava tendo dificuldades de se aquecer; por isso, todos achavam que ele já estava morrendo. Seu filho mais velho, Adonias, até já havia se AUTOPROCLAMADOo próximo rei (1Rs 1.5-10).

 

Enquanto isso, o profeta Natã estava fazendo tudo que podia para garantir o reinado de Salomão, que, segundo a promessa de Deus, assentaria no trono de Davi. Juntos, Natã e Bate-Seba informaram Davi o que estava acontecendo com o seu reino e o persuadiram a coroar Salomão como rei.

 

Assim que Davi prometeu fazê-lo, "Então, Bate-Seba se inclinou, e se prostrou com o rosto em terra diante do rei, e disse: VIVA O REI DAVI, MEU SENHOR, PARA SEMPRE!" (1Rs 1.31).

 

Nessa situação, pode parecer uma coisa estranha a se dizer. A razão pela qual Davi e Bate-Seba estavam tendo essa conversa era que ambos sabiam que o rei não viveria para sempre, que ele estava prestes a morrer. Por que, então, ela disse isso?

 

Bate-Seba não estava sendo irônica ou até mesmo provocando o velho rei. Mas a esperança de Bate-Seba era que Davi vivesse e seu reino perdurasse para sempre não era infundada. O rei e sua DINASTIA DAVIDICA AINDA VIVEM, PARA A ALEGRIA ETERNA DE TODO O POVO DE DEUS.

 

1. A instrução para uma coroação legitima.

Muitos achavam que Davi estivesse morrendo, e incapaz de tomar uma decisão. Assim que encerrou sua audiência com Bate-Seba, ele começou a dar ordens. Não havia tempo a perder! Na tentativa de usurpar o trono, Adonias já havia anunciado que ele era o novo rei.

 

Davi sabia que esse era o momento: se não agisse imediatamente e de FORMA DECISIVA para colocar Salomão no trono, A PROMESSA DE DEUS NÃO SE CUMPRIRIA E SALOMÃO NUNCA SE TOMARIA REI.

 

Então, o velho rei reassumiu o comando. Disse: "Chamai-me Zadoque, o sacerdote, e Natã, o profeta, e Benaia, filho de Joiada" (1Rs 1.32). Era uma manobra astuta. Davi estava convocando o profeta, o sacerdote e o representante do rei.

 

Adonias não tinha consultado nenhum desses homens, mas Davi o fez, e ao fazê-lo uniu seu reino sob o DOMÍNIO DE DEUS, que os designara para servir como governantes e LIDERES LEGÍTIMOS de Israel.Então Davi deu as ordens para a coroação de Salomão. Estas foram as suas instruções reais:

 

Disse-lhes o rei: Tomai convosco os servos de vosso senhor, e fazei montar meu filho Salomão na minha mula, e levai-o a Giom. ZADOQUE, o sacerdote, com NATÃ, o profeta, ali o ungirão rei sobre Israel; então, tocareis a trombeta e direis: Viva o rei Salomão! Subireis após ele, e virá e se assentará no meu trono, pois é ele quem reinará em meu lugar; porque ordenei seja ele príncipe sobre Israel e sobre Judá (1Rs 1.33-35).

 

Dá para ver que o rei estava acostumado a dar ordens, e que ele sabia exatamente o que fazer. Primeiro Salomão montaria em uma mula — a MULA REAL de Davi, que representava a sua realeza. Montar uma mula ou um burro era um símbolo antigo do oficio real.

 

Para termos uma ideia: ver Salomão montado numa mula seria como ver a rainha da Inglaterra em sua carruagem real, ou assistir um desfile do presidente no carro presidencial no dia de sua posse. O rei estava desfilando com toda a sua dignidade real.

 

Depois, Salomão seria ungido — o RITUAL SAGRADOque oficialmente o consagraria como próximo rei. Isso correspondia à VONTADE DE DEUS, que prometeu que Salomão reinaria no trono de Davi (1Cr 22.9-10).

 

O ATO DA UNÇÃOtambém representava um costume: os dois primeiros reis de Israel — Saul e Davi — tinham sido ungidos com óleo (1Sm 10.01, 16.1-13). Agora, Zadoque, o sacerdote, e Natã, o profeta, derramariam o óleo sagrado sobre a cabeça de Salomão, designando-o divinamente como o novo rei do povo de Deus.

 

Em seguida, viria a entronização de Salomão. Trombetas anunciariam sua aproximação real ao trono de Davi. Com gritos de aclamação, as pessoas proclamariam sua realeza: "VIVA O REI Salomão!". Então, os líderes de Israel acompanhariam seu novo governante ao trono de Israel, onde ele se sentaria no lugar real de Davi.

 

ESSA ERA A MANEIRA CORRETA DE O REI DAVI ANUNCIAR SEU SUCESSOR IMEDIATO E DE OS LÍDERES DE ISRAEL FAZEREM DE SALOMÃO O SEU REI.

 

Davi sempre tinha chamado Salomão de seu filho amado; agora, foi o primeiro a anunciá-lo como rei. Ele fez isso em sua autoridade real como representante de Deus. TAMBÉM O FEZ EM PLENA LUZ DO DIA.

 

Ao contrário de Adonias, QUE ORGANIZARA A SUA PRÓPRIA COROAÇÃO PARTICULAR, Salomão desfilaria pelas ruas da cidade e seria coroado no palácio real — NÃO POR SUA VONTADE PRÓPRIA, MAS POR HOMENS DE DEUS QUE AGIAM SOB A VONTADE DE DEUS.

 

ESSA ERA A MANEIRA CORRETA DE REALIZAR UMA COROAÇÃO: COM UMA MULA REAL NUM DESFILE REAL, COM O ÓLEO SAGRADO PARA A UNÇÃO SAGRADA, AO SOM DE GRITOS E TROMBETAS, E COM O NOVO REI SENTADO EM SEU TRONO DE OURO.

 

2. Escolhendo o verdadeiro Rei.

Uma vez que Davi havia dado essas ordens, as pessoas precisavam fazer uma ESCOLHA.É A MESMA ESCOLHA QUE TODOS NÓS ENFRENTAMOS TODOS OS DIAS: será que vamos aceitar o rei que Deus ungiu, submetendo-nos ao seu domínio para as nossas vidas, ou vamos nos colocar no trono, vivendo segundo as regras de algum outro reino?

 

Primeiro o capítulo 1 de 1Reis mostra a escolha que as pessoas fizeram quando Davi disse que Salomão seria o rei. As pessoas que aceitaram a autoridade de Davi como a vontade real de Deus imediatamente passaram a coroar Salomão como rei.

 

Sentimos a sua ALEGRIA na resposta maravilhosa que Benaia, filho de Joiada, deu quando o rei Davi lhe pediu que ajudasse na coroação de Salomão:

 

"Amém! Assim o diga o SENHOR, Deus do rei, meu senhor. Como o SENHOR foi com o rei, meu senhor, assim seja com Salomão e faça que o trono deste seja maior do que o trono do rei Davi, meu senhor" (1Rs 1.36-37).

 

Com o coração repleto de alegria, Benaia disse "AMÉM!" à coroação de Salomão, fazendo assim sua escolha pelo reino de Deus.

Ele honrou o rei Davi ao concordar com as suas instruções. Honrou o rei Salomão ao afirmar a sua realeza. Ele também homenageou Deus como o Senhor de todos os reis, reconhecendo sua soberania sobre todos esses eventos. Benaia estava apoiando o rei e o seu reino.

 

Benaia era também um HOMEM DE ORAÇÃO, pois era isso que ele estava fazendo: orando pelo reino vindouro. Ao dizer: "Assim o diga o SENHOR", ele estava pedindo a ajuda de Deus para que os planos de Davi se concretizassem.

 

Estava pedindo a Deus que estivesse com Salomão assim como sempre estivera com Davi, e que expandisse seu reino abençoando Salomão ainda mais do que já havia abençoado Davi.

 

BENAIA TEVE A VISÃO DE VER A GLÓRIA DO REINO VINDOURO, E ASSIM OROU, PEDINDO A DEUS QUE AUMENTASSE A GRANDEZA DO DOMÍNIO DE DAVI. PEDIU A DEUS QUE FIZESSE MAIS DO QUE ELE ESPERAVA OU IMAGINAVA, E AO FAZÊ-LO HONROU NÃO SÓ DAVI E SALOMÃO, MAS TAMBÉM O SEU DEUS.

 

No entanto, Benaia não era a única pessoa que escolhia o rei certo. A Bíblia diz ainda que "Então, desceu Zadoque, o sacerdote, e Natã, o profeta, e Benaia, filho de Joiada, e a guarda real, fizeram montar Salomão a mula que era do rei Davi e o levaram a Giom”.

 

“Zadoque, o sacerdote, tomou do tabernáculo o chifre do azeite e ungiu a Salomão; tocaram a trombeta, e todo o povo exclamou: Viva o rei Salomão!" (1Rs 1.38-39). Esses homens seguiram atentamente as instruções reais de Davi. O profeta, o sacerdote e o representante do rei ajudaram Salomão a montar na mula real.

 

A eles se juntaram os "valentes" de Davi (1Rs 1.8), suas próprias TROPAS DE ELITEde queretitas e peletitas. Juntos, esses homens o levaram para a tenda sagrada(tabernáculo), onde o sacerdote guardava o óleo sagrado para o ritual da unção. Assim ungiram Salomão como rei.

 

De imediato, o reinado de Salomão recebeu a aclamação que merecia. Todo o reino estava optando pelo legítimo herdeiro de Davi.

 

Os sacerdotes "tocaram a trombeta, e todo o povo exclamou: VIVA O REI Salomão! Após ele, subiu todo o povo, tocando gaitas e alegrando-se com grande alegria, de maneira que, com o seu clamor, parecia fender-se a terra" (1Rs 1.39-40).

 

A repetição do refrão real "VIVA O REI Salomão!" é o auge de 1Reis 1. Que alegria ver o rei Salomão assumir esse trono nesse dia feliz! A notícia de sua coroação se espalhou pela cidade como fogo, e logo todo mundo estava seguindo o seu cortejo.

 

Músicos tocavam suas trombetas; homens adultos aplaudiam e gritavam; as mulheres cantavam e nas ruas; as crianças estavam pulando para lá e para cá, tão animadas estavam que mal sabiam o que fazer.

 

O barulho dessa celebração era tanto que quase provocou um TERREMOTO. É assim que se saúda um rei: com pompa real, cortejo glorioso e celebração pública — algo que a maioria das pessoas testemunha uma única vez na vida.

 

Até o velho rei Davi sentiu a alegria. O rei estava fraco demais para se levantar da cama, mas depois "os oficiais do rei Davi vieram congratular-se com ele e disseram: Faça teu Deus que o nome de Salomão seja mais célebre do que o teu nome; e faça que o seu trono seja maior do que o teu trono”.

 

E O REI SE INCLINOU SOBRE O LEITO E ADOROU dizendo: Bendito o SENHOR, Deus de Israel, que deu, hoje, quem se assente no meu trono, vendo-o os meus próprios olhos" (1Rs 1.47-48).

 

Quando esses servos ORARAMpara que o reino de Salomão ultrapassasse o reino de Davi, eles não estavam insultando seu senhor, mas honrando a PROMESSA DE DEUS que ele lhe daria uma dinastia real (2Sm 7.8-16). Deus realmente expandiria seu reino, e Davi regozijou pelo fato de viver esse dia.

 

Ali mesmo, enquanto ainda estava em sua cama, ele se inclinou para adorar a Deus e abençoá-lo pela dádiva do reinado de Salomão.

 

Davi não precisava ser o maior rei do reino ou o mais famoso. O QUE ELE QUERIA VER ERA A GLÓRIA DO REINO DE DEUS. Sem qualquer inveja de seu filho, Davi louvou a Deus pelo rei recém-ungido e de seu futuro reino.

 

3. Coroando a Cristo.

Quase todos os detalhes dessa festa de coroação nos ajudam a entender a realeza de Jesus Cristo: sua unção, sua entronização e seu domínio eterno. A maioria das pessoas nunca presenciou uma coroação real ao vivo.

 

No Brasil, nunca coroamos um rei. Mas reis de verdade precisam ser coroados, e ao contar-nos como Salomão foi coroado, 1Reis 1 também nos ajuda a entender a coroação de Cristo como Rei.

Jesus de Nazaré era o HERDEIRO LEGÍTIMO do trono de Davi. Como Mateus nos diz em sua famosa genealogia, Jesus era um descendente direto de Salomão e de Davi, por meio de Bate-Seba (Mt 1.6-7).

 

Assim, sua pretensão ao trono de Davi era legítima. Quando chegou o momento do reconhecimento público de sua realeza, Jesus montou num JUMENTO REAL para entrar na cidade real de Jerusalém (Mt 21.1-11). Há muito tempo fora prometido que o Cristo entraria montado em um jumento em Jerusalém (Zc 9.9).

 

Então, quando Jesus montou num burro no primeiro DOMINGO DE RAMOS, fazendo sua ENTRADA TRIUNFAL em Jerusalém, aquilo foi uma manifestação pública de seu oficio real. O rei estava em desfile.

 

O Rei Jesus também foi ungido. Na verdade, este é o verdadeiro significado da palavra "CRISTO", que significa literalmente "O UNGIDO". Jesus foi ungido não por um profeta ou sacerdote, mas pelo Espírito de Deus.

 

Isso ocorreu em seu batismo no rio Jordão, quando o Espírito Santo desceu do céu como uma pomba e repousou sobre o Filho de Deus (Mt 3.16; Lc 3.21-22). Como Jesus diria mais tarde: "O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu" (Lc 4.18, cf. S1 89.20; Hb 1.9).

 

ISSO MOSTRA A SUPERIORIDADE DA REALEZA DE CRISTO. O óleo que os profetas e os sacerdotes usavam para ungir os reis do Antigo Testamento era um SINAL do Espírito, que demonstrava que Deus Espírito Santo havia nomeado e equipado um homem para servir como rei.

 

Mas Jesus foi ungido com o Espírito — não com o sinal do Espírito, mas com a terceira pessoa da própria Trindade. Seu reino não era simplesmente um sinal do domínio real de Deus, mas a REALIDADE VIVA do domínio de Deus. O rei divino foi divinamente ungido pelo domínio divino.

 

Finalmente, assim como o rei Salomão, o Rei Jesus foi entronizado, assentando-se à direita de Deus no trono do universo.

 

No entanto, antes aconteceu ALGO ESTRANHO, ALGO QUE NUNCA ACONTECEU COM QUALQUER OUTRO REI DE QUALQUER OUTRO REINO:o rei, coroado com a coroa de espinhos, foi para a cruz, onde deu sua vida para salvar seu povo.

 

A MAIORIA DOS REINOS FAZ DE TUDO PARA PROTEGER SEU REI. Essa é a premissa tácita do jogo de xadrez, por exemplo. QUANDO O REI CAI, O REINO ESTÁ PERDIDO. Portanto, o rei deve ser protegido a todo custo.

 

Outro exemplo notável foi a invasão aliada (EUA, INGLATERRA, FRANCA, E ALIDADOS) na guerra da Normandia no Dia D, em 6 de junho de 1944. O primeiro-ministro britânico Winston Churchill queria desesperadamente juntar-se às tropas expedicionárias e assistir a invasão da ponte de um navio de guerra no Canal da Mancha.

 

O general norte-americano Dwight David Eisenhower que comandava uma frota de quase três milhões de soldados, tentou desesperadamente impedi-lo, por medo de que o primeiro-ministro pudesse ser morto em batalha. Quando se tornou evidente que Churchill não seria dissuadido, O General Eisenhower apelou a uma autoridade superior: ao rei Jorge VI da Inglaterra.

 

Então, o rei disse ao primeiro ministro Churchill que, se era o dever do primeiro-ministro testemunhar a invasão, ele seria obrigado a concluir que seu dever como rei era juntar-se ao primeiro-ministro no navio de guerra. Foi aí que Churchill recuou, pois sabia que nunca poderia expor o rei da Inglaterra a tal perigo.

 

O Rei Jesus fez exatamente o oposto. Com uma CORAGEM REAL, ele entregou seu corpo para que fosse crucificado. Na cruz, ofereceu um resgate real: sua vida pela vida de seu povo.

 

ELE MORRERIA POR TODAS AS COISAS ERRADAS QUE NUNCA TINHA COMETIDO, EXPIANDO COMPLETAMENTE TODOS OS NOSSOS PECADOS. Jesus faria isso como nosso Rei. A COROA DE ESPINHOSfoi usada para ridicularizar suas pretensões reais, de fato proclamou sua dignidade real, mesmo na morte.

 

Quando Jesus morreu na cruz, Satanás e todos os inimigos de Deus puderam dizer: "O REI ESTÁ MORTO!". No entanto, isso não é o fim da história, porque no terceiro dia; Deus disse: "VIVA O REI!" e Jesus saiu diretamente do túmulo.

 

Logo depois, ele foi majestosamente entronizado, e Deus cumpriu sua antiga promessa dada à casa de Davi. Deus Pai disse a Deus Filho: "ASSENTA-TE À MINHA DIREITA" (Sl 110.1). Ele "exaltou" o seu Filho, dando-lhe autoridade sobre tudo no céu e na terra, e UM NOME SOBRE TODOS OS NOMES, não só neste século, mas também no vindouro. (Fp 2.9-11).

 

Que alegria deve ter se espalhado pelo céu quando o Filho de Deus subiu ao seu trono! Que gritos de triunfo! E que toques de trombetas! Que músicas de louvor!

 

O TRONO DE JESUS é maior do que o trono de Davi e Salomão. E superior a todos os outros domínios, pois Jesus estará assentado para sempre no trono do céu como Rei sobre tudo — o Rei real que Deus ungiu.

 

Nós também podemos aclamar Jesus como nosso Rei. Podemos fazer isso da mesma maneira como Benaia o fez: dizer "AMÉM" para a realeza de Cristo e ORAR para que o seu reino cresça. FAZEMOS ISSO PELA PRIMEIRA VEZ QUANDO JURAMOS SER FIÉIS A CRISTO COMO REI, E QUANDO NOS COMPROMETEMOS A SERVI-LO.

 

ENTÃO ORAMOS PELO REINO VINDOURO. Cada vez que oramos para que o evangelho alcance nossos amigos e vizinhos e para que a igreja cresça em todo o mundo, honramos Cristo como Rei.

 

Também podemos reconhecer a realeza de Cristo por meio da nossa ADORAÇÃO, como as pessoas faziam nas ruas de Jerusalém. Quer sejamos homens, mulheres ou crianças, todos nós podemos fazer musica para o nosso Rei, honrando a Cristo com melodias alegres e músicas de louvor.

 

É assim que servimos a Cristo e ao seu reino: entronizando Jesus em nossos corações e dizendo: "Viva o Rei!".

 

4.  Quando a festa do pecado acaba.

VIMOS A ESCOLHA QUE A MAIORIA DAS PESSOAS FEZ: optou por Salomão como rei ungido do Senhor. Mas qual foi a escolha feita por Adonias, e o que podemos aprender com isso?

 

A esta altura da narrativa, ocorre uma mudança de CENA DRAMÁTICA, e a Bíblia nos leva de volta para a festa que Adonias estava dando nas proximidades imediatas de Jerusalém.

 

Em um momento culminante daAUTOEXALTAÇÃO, Adonias havia se declarado rei (1Rs 1.5). Então, numa manobra para recrutar mais seguidores, havia oferecido um grande banquete a todos os seus amigos (1Rs 1.9-10).

 

Ele fez a maior e mais barulhenta festa de todas para conquistar o povo. Adonias estava oferecendo comida e bebida aos seus FIÉIS APOIADORES. Enquanto a festa estava em pleno andamento, o candidato a rei se deleitava em sua própria gloria pretensiosa.

 

Os apoiadores de Adonias festejaram até todos estarem totalmente satisfeitos. Mas quando o alvoroço da festa diminuiu alguém ouviu UM BARULHO que pegou todos de surpresa:

 

"Adonias e todos os convidados que com ele estavam o ouviram, quando acabavam de comer; também Joabe ouviu o SONIDO DAS TROMBETASe disse: Que significa esse ruído de cidade alvoroçada?" (1Rs 1.41).

 

O termo literário adequado para este tipo de situação é IRONIA DRAMÁTICA. Uma ironia dramática ocorre sempre que o leitor sabe algo que um personagem de uma história não sabe.

 

Nesse caso, Joabe ouviu o SOM DE UMA TROMBETA, seguido pelo barulho de uma multidão. Ele não sabia o que isso significava, mas nós sabemos! Era o SOM DO TRIUNFO de Salomão e, portanto, o TOQUE DE TROMBETA DA QUEDA de Adonias.

 

De repente, um mensageiro chegou para explicar o que estava acontecendo. Enquanto Joabe "Estando ele ainda a falar, eis que vem Jônatas, filho de Abiatar, o sacerdote; disse Adonias: Entra, porque és homem valente e trazes BOAS-NOVAS" (1Rs 1.42). Isso também era IRÔNICO, pois a notícia que Jônatas trazia para Adonias NÃO ERA NADA BOA:

 

Respondeu Jônatas e disse a Adonias: Pelo contrário, nosso senhor, o rei Davi, constituiu rei a Salomão. E Davi enviou com ele a Zadoque, o sacerdote, e a Natã, o profeta, e a Benaia, filho de Joiada, e aos da guarda real; e o fizeram montar a mula que era do rei.

Zadoque, o sacerdote, e Natã, o profeta, o ungiram rei em Giom e dali subiram alegres, e a cidade se alvoroçou; esse é o clamor que ouviste. Também Salomão já está assentado no trono do reino (1Rs 1.43-46).

 

Pobre Adonias! Tudo estava indo tão bem para ele, exatamente como havia planejado. As pessoas até já haviam começado a chamá-lo de rei. Mas no exato momento de seu aparente triunfo, UM TOQUE DE TROMBETA foi o suficiente para destruir seus sonhos egoístas.

 

Pois segundo Jônatas, o que estava acontecendo em Jerusalém já se tornara fato: a realeza tinha sido firmemente depositada nas mãos de outra pessoa. Davi tinha coroado Salomão.

 

O irmão mais novo de Adonias havia sido LEGALMENTE UNGIDOpelo legítimo sacerdote e profeta fiel de Israel, com o apoio total da própria guarda real. O novo rei tinha montado na mula real, para o louvor de todo o povo.

 

Então, assumira o seu lugar no trono de Davi. E, do ponto de vista de Adonias, o que era ainda pior: a entronização de Salomão havia ocorrido por ordem de Davi, com o aval dos seus servos reais, OS QUAIS ELE NÃO HAVIA CONVIDADO PARA SUA COROAÇÃO(1Rs 1.47-48). Essa era a terrível verdade no que dizia respeito a Adonias: Salomão era rei de Israel.

 

Quando os convidados da festa de Adonias ouviram o que tinha acontecido, ERA CADA UM POR SI. O vento havia virado, e eles temiam que fossem mortos: "Então, estremeceram e se levantaram todos os convidados que estavam com Adonias, e todos se foram, tomando cada um seu caminho" (1Rs 1.49).

 

É fácil imaginá-los saindo de fininho e, em seguida, fugindo o mais rápido possível. A festa tinha acabado. A mensagem que Adonias recebeu "ESTRAGOU O CLIMA DE SUA FESTA, dispersou o grupo e obrigou todos os homens a se preocuparem com sua própria segurança".

 

MAIS CEDO OU MAIS TARDE, O QUE ACONTECEU COM ADONIAS VAI ACONTECER COM QUALQUER UM QUE TENTA SENTAR-SE NO TRONO DO SEU PRÓPRIO UNIVERSO PESSOAL.

 

PODEMOS ATÉ NOS TORNAR POPULARES POR ALGUM TEMPO, especialmente se oferecermos festas como a de Adonias. Podemos até encontrar pessoas que nos CHAMEM DE REI. Mas, por fim, nossos prazeres se transformarão em desprazer e acabaremos sós, como Adonias. UM DIA A FESTA DO PECADO ACABA.

 

Isso aconteceu com algumas das pessoas mais famosas do mundo. Se perguntasse a Adolf Hitler, que tentou dominar o mundo, mas se suicidou, ou perguntasse a Howard Hughes, que foi o homem mais rico do mundo, mas morreu sozinho e com medo, um recluso, preso em sua própria casa, ou a Friedrich Nietzsche, ateu e critico do cristianismo e defensor do nazismo alemão, que morreu como um louco endemoniado e sozinho.

 

MELHOR AINDA, PERGUNTE A SI MESMO: quão bem sua vida funcionou quando você tentou subjugá-la a seus próprios termos, FAZENDO-SE REIe tratando todos os outros como seus súditos?

 

Você conseguiu cumprir suas expectativas, ou será que falhou em sua tentativa? E o que acontecerá quando você ouvir o ÚLTIMO TOQUE DA TROMBETA DE DEUS NO JUÍZO FINAL?Será que ele lhe trará a BOA NOTÍCIA DE SUA SALVAÇÃO ou apenas o som da sua desgraça?

 

5. Qual será a nossa escolha.

MAIS CEDO OU MAIS TARDE, A FESTA DO PECADO ACABA.Isso significa que cada um de nós precisa fazer uma escolha: insistirei no direito de governar a minha própria vida, ou estou disposto a entronizar Jesus como meu Rei? O capítulo 1 de 1Reis termina com Adonias diante do conflito de fazer sua escolha.

 

O fracasso total de todos os seus PLANOS EGOÍSTASo confrontou com um verdadeiro dilema. NAQUELA MESMA MANHÃ, ESTIVERA PREPARANDO SUA CABEÇA PARA RECEBER UMA COROA, E AGORA ESTAVA CORRENDO O PERIGO DE PERDER A PRÓPRIA CABEÇA!

 

Qual, então, foi a sua resposta? Será que ele ainda INSISTIRIA EM CHAMAR-SE REI, ou será que se AJOELHARIAdiante do ungido do Senhor?

 

Adonias teria sido sábio se tivesse ouvido o SALMO 2, que descreve como os reis da terra se colocam no trono e se unem "contra o SENHOR e contra o seu ungido" (Sl 2.2).

 

E foi exatamente isso que Adonias havia feito, é claro. Mas o salmo termina com o seguinte conselho:

 

"Agora, pois, ó reis, sede prudentes; DEIXAI-VOS ADVERTIR, juízes da terra. Servi ao SENHOR com temor e alegrai-vos nele com tremor. BEIJAI O FILHO para que se não irrite, e não pereçais no caminho" (S1 2.10-12).

 

É como se o salmista estivesse falando diretamente com Adonias, pois era exatamente isso o que este precisava fazer, caso quisesse salvar a sua vida: SERVIR AO SENHOR COM TEMOR E ABRAÇAR O REINADO DE SEU FILHO REAL.

 

Então, o que o homem fez? A Bíblia diz: "Adonias, temendo a Salomão, levantou-se, foi e pegou nas pontas do altar" (1Rs 1.50). Este versículo sugere que Adonias fez tudo isso em rápida sucessão. Se ele queria salvar a sua vida, precisava agir rapidamente. Não havia tempo a perder!

 

Então ele correu para o pátio do tabernáculo e se agarrou aos CHIFRES DO ALTARonde eram feitos os sacrifícios pelos pecados. De acordo com a Lei de Moisés, isso salvaria a vida de alguém que cometera um homicídio culposo (Êx 21.12-14).

 

Não era o caso aqui; logo, Adonias não tinha nenhum motivo legal para esperar que isso garantisse sua segurança, mas foi a única coisa que lhe veio à mente, TALVEZ FOSSE A MELHOR MANEIRA DE IMPLORAR POR SUA VIDA E, POSSIVELMENTE, A ÚNICA COISA QUE AINDA PODERIA SALVÁ-LO.

 

Agora, o destino de Adonias estava nas mãos de Salomão. No entanto, em vez de exigir vingança, o novo e legítimo rei demonstrou misericórdia:

 

Foi dito a Salomão: Eis que Adonias tem MEDO DE TI, porque pega nas pontas do altar, dizendo: Jure-me, hoje, o rei Salomão que não matará a seu servo à espada. Respondeu Salomão: SE FOR HOMEM DE BEM, nem um de seus cabelos cairá em terra; porém, se se ACHAR NELE MALDADE, morrerá. Enviou o rei Salomão mensageiros, e o fizeram descer do altar; então, veio ele e se prostrou perante o rei Salomão, e este lhe disse: VAI PARA TUA CASA (1Rs 1.51-53).

 

Quão baixo os poderosos caíram! O homem que tentou se elevar foi derrubado. O homem que quis ser rei tinha de prestar homenagem a seu irmão mais novo, agora rei. O homem que tentou dar ordens recebeu a ORDEM DE IR PARA CASA.

 

Daqui em diante, Adonias estaria em liberdade condicional. Salomão o deixou ir apenas sob a condição de BOM COMPORTAMENTO. Agora Adonias tinha de provar a si mesmo que era um homem digno.

 

Tudo o que sabemos sobre Adonias torna muito improvável que ele seria capaz de cumprir a condição real de Salomão. Em um ato de submissão exterior, ele jurou lealdade ao ungido do Senhor, MAS SERÁ QUE REALMENTE HAVIA DESISTIDO SER REI EM SEU CORAÇÃO?

 

No versículo 51, vemos como ele tenta permanecer no comando, DEFININDO OS TERMOS SOB OS QUAIS SE ENTREGARIA A SALOMÃO. De alguma forma, sabemos que, mais cedo ou mais tarde, O FALSO CORAÇÃO de Adonias será descoberto, e ele morrerá.

 

CONCLUSÃO:Por ora, resta-nos apenas acompanhar a história e considerar a nossa própria relação com o Ungido de Deus e Rei eterno, Jesus Cristo. A Bíblia diz que Jesus é superior a Salomão (Mt 12.42), e vemos sua superioridade aqui.

 

Por mais que admiremos Salomão por dar uma segunda chance a Adonias, devemos LOUVAR A JESUS POR NOS DAR UMA GRAÇA AINDA MAIOR. Salomão disse que a vida de Adonias seria poupada se ele provasse ser digno, o que certamente era uma exigência justa.

 

Mas Jesus diz que ele nos aceita, mesmo se formos indignos, como todos nós de fato somos (cf. Rm 5.6-8). Salomão disse que, se Adonias pecasse, ele morreria.

Mas Jesus, vendo que tínhamos pecado, subiu no altar do sacrifício e morreu em nosso lugar. AGORA, EXISTE UM REI PARA NÓS, UM GOVERNANTE QUE OFERECEU SUA PRÓPRIA VIDA PARA A NOSSA SALVAÇÃO!

 

Nosso Rei ainda vive. No final, Davi morreu, como também Salomão. Mas Jesus ressuscitou dos mortos PARA DAR A VIDA ETERNA a Davi, a Salomão e a todos os seus filhos e filhas reais.

 

Nunca haverá uma interrupção, um interregno, ou qualquer outra sucessão real no reino de Deus porque Jesus Cristo é o Rei imortal de todas as eras (1Tm 1.17).

 

Agora, todos que pertencem ao reino de Davi, ao optarem por Cristo, podem dizer: "O rei está morto, viva o rei!". VIVA O REI QUE ACOLHE OS INDIGNOS! VIVA O REI QUE MORREU PELOS PECADORES! VIVA O REI QUE RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS! VIVA O REI QUE ESTÁ VOLTANDO!

 

Deus nos deu esta promessa: "para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre" (Is 9.7). Viva o Rei, e vivam todos os súditos leais de seu reino real, que vivem pela fé no Filho de Deus!

 
 
*Essa pregação faz parte da série de sermões expositivos que acontecem no Culto de Expositiva Bíblica às quartas-feiras aqui na Assembleia de Deus Marcas do Evangelho, às 19h30. Ficamos na Rua Álvaro Pedro Miranda, 08, Campo Grande, Cariacica/ES. Perto da Faculdade Pio XII
*Essa pregação faz parte da série de sermões expositivos que acontecem no Culto de Expositiva Bíblica às quartas-feiras aqui na Assembleia de Deus Marcas do Evangelho, às 19h30. Ficamos na Rua Álvaro Pedro Miranda, 08, Campo Grande, Cariacica/ES. Perto da Faculdade Pio XII
*Essa pregação faz parte da série de sermões expositivos que acontecem no Culto de Expositiva Bíblica às quartas-feiras aqui na Assembleia de Deus Marcas do Evangelho, às 19h30. Ficamos na Rua Álvaro Pedro Miranda, 08, Campo Grande, Cariacica/ES. Perto da Faculdade Pio XII
*Essa pregação faz parte da série de sermões expositivos que acontecem no Culto de Expositiva Bíblica às quartas-feiras aqui na Assembleia de Deus Marcas do Evangelho, às 19h30. Ficamos na Rua Álvaro Pedro Miranda, 08, Campo Grande, Cariacica/ES. Perto da Faculdade Pio XII

De: 22/10/2017
Por: Jairo Carvalho



Deixe seu comentário abaixo
0 comentário

 

Quanto é :

2011 - 2018 Pregação Expositiva
Desenvolvimento: Agência Kairós
Usuários online 2 online Visitantes 199103 Visitas